Weby shortcut
Icone Instagram
Icone Linkedin
Icone YouTube
Universidade Federal de Goiás
Projeto Luiz Franco Veterinária

Projeto de extensão leva atendimento veterinário a produtores rurais

Criada em 25/06/19 13:51. Atualizada em 25/06/19 14:17.

Quirinópolis recebeu o projeto nos dias 20 e 21 de junho e é o terceiro município atendido em 2019

Kharen Stecca

Promover atendimento clínico e cirúrgico veterinário em comunidades rurais do Estado de Goiás e assim beneficiar produtores rurais que não teriam acesso a esse trabalho é o objetivo do projeto de extensão do aposentado-voluntário pela UFG Luiz Antônio Franco, da professora Ana Kellen Lima de Queiroz e do professor Antônio Dionísio Feitosa Noronha Filho. Nos dias 20 e 21 de junho o projeto realizou a terceira ação do ano, no município de Quirinópolis. Outras duas já ocorreram em 2019 em Jataí e Itapirapuã.

Projeto Luiz Franco Veterinária

O projeto envolve professores, técnicos, alunos de graduação e pós-graduação e profissionais já formados. Nas últimas ações foram atendidos 9 proprietários rurais e mais de 50 animais entre bovinos, equinos e suínos. Entre os atendimentos realizados estão, por exemplo, castração de animais, ultrassonografias, cirurgias específicas, atendimentos clínicos e orientação quanto a procedimentos com os animais tratados.

A professora Ana Kellen explicou que a escolha do município depende de algumas pré-condições do local como a existência de um médico veterinário local para auxiliar na programação e pós-operatórios. Os proprietários também se comprometem com a aquisição de medicamentos e com a execução do pós-operatório e tratamentos clínicos. O serviço prestado é gratuito, mas o compromisso com a continuidade do tratamento, necessário.  O professor Luiz Franco explica que o projeto é gratificante pois todos os envolvidos são beneficiados, desde o estudante ao produtor.  

Projeto Luiz Franco Veterinária

A Escola de Veterinária e Zootecnia da UFG participa de ações de extensão no Município de Jataí há mais de 40 anos. As atividades sempre contaram com auxílio de um Médico Veterinário para realizar a programação. Os professores ressaltam que já receberam apoio de prefeituras, lojas veterinárias, sindicato rural, empresas do ramo de medicamentos veterinários, etc. “Porém hoje, essa parceria diminuiu de forma substancial. Portanto, a continuidade ou a realização de uma nova etapa na região vai depender da demanda da comunidade e da disponibilidade de recursos financeiros, uma vez que nós, professores e alunos voluntariamente, temos gastos com estadia e alimentação e as vezes os alunos deixam de participar destas ações de extensão, por não ter condições de arcar com estas despesas”, afirma a professora Ana Kellen.

Projeto Luiz Franco Veterinária

O estudante da UFG, Regional Jataí, Thiago Henrique Rabelo é um dos participantes do projeto: “Tive a oportunidade de participar das atividades de extensão da EVZ/UFG nas áreas de clínica e cirurgia e testemunho a importância das ações para meu aprimoramento profissional e crescimento pessoal. As atividades de extensão promovidas pela EVZ/UFG me permitiram vivenciar na prática, atividades voltadas a clínica médica e cirúrgica de grandes animais, anestesiologia e diagnóstico por imagem. Ressalto que muito do meu suporte teórico-prático teve sua sustentação em virtude da participação de atividades de extensão”. 

Letícia Nunes, também da Regional Jataí participou desta edição: “Tive a oportunidade de acompanhar na prática, atividades em diversas áreas diferentes, como clínica cirúrgica de grandes animais e anestesiologia, durante as atividades de extensão realizadas em propriedades rurais no Município de Jataí-GO. Tenho a convicção, de que alunos, professores, produtores rurais, profissionais egressos e a comunidade em geral se beneficiam de atividades com as de extensão executadas pela EVZ/UFG e coordenada pelo Professor Luiz Franco”.

O produtor Nélio Guimarães foi um dos beneficiados pelo projeto: "Já recebi o professor Luiz Franco e sua equipe na minha fazenda por mais de uma vez. Esse programa não pode acabar, pois os profissionais se deslocam até o campo para ajudar os proprietários, os quais apenas assumem os custos e a condução do pós-operatório. Isso é algo que não se consegue calcular o valor. Com esse companheirismo, ganha o aluno, o produtor e a sociedade. Serei sempre um divulgador do programa na tentativa de unir a classe e beneficiar cada vez mais produtores.”

 

Fonte: Secom UFG

Categorias: Ciências Naturais