Icone Instagram
Icone Linkedin
Icone YouTube
Universidade Federal de Goiás
capa livro brincadeiras

Livro investiga brincadeiras e jogos quilombolas

Criada em 05/06/20 16:58. Atualizada em 24/06/20 17:10.

Proposta é ir além de coletânea de jogos, mas resgatar a cultura destes povos

O estudante de pós-graduação da Universidade Federal de Goiás, Leonardo  Andrade, em parceria com professores do Instituto Federal Goiano lançaram o livro Diversão e Conhecimento um resgate de brincadeiras e jogos da comunidade quilombola do cedro. A proposta deste livro não é ser uma simples coletânea de jogos, brincadeiras e brinquedos. Segundo o professor, é antes de mais nada, resgatar a tradição de um povo que faz parte de uma cultura universal que tem sido deixada à margem, pela ideologia dominante: "Esta ideologia, fundamentada num discurso em prol do progresso, tem instituído valores, padrões e comportamentos, homogeneizando todos os povos e desconsiderando as identidades nacionais e regionais dos diferentes grupos que compõem a sociedade brasileira."

Para ele nesse contexto, percebe-se uma tentativa de desconstruir a ideia de utilizar jogos e brincadeiras como processos educativos, minimizando sua importância com respaldo na falácia de não haver fins pedagógicos para tais práticas. Esta obra tenta refutar essa ideia, possibilitando ao professor refletir sobre os sentidos e significados dos jogos, brincadeiras e brinquedos, valendo-se deles como elementos motivadores para a releitura da cultura quilombola e dando um novo sentido às aulas na Educação Básica. 
capa livro brincadeiras
Livro faz um resgate de jogos e brincadeiras da comunidade quilombola
As manifestações corporais e os brinquedos descritos neste livro resultaram de uma pesquisa de caráter etnográfico e etnobotânico financiada pelo Conselho Nacional de Desempenho Científico e Tecnológico – CNPq, realizada por servidores do IF Goiano de 2016 a 2018 no quilombo do Cedro, localizado em Mineiros, no estado de Goiás. Dela também resultaram outras quatro publicações para uso escolar: 
- Um Girassol para Tiana, escrito por Tatianne Silva Santos e Mara Núbia Dionísio; 
- Lembranças Cedrinas: uma experiência de contação de histórias bilíngue, organizado por Priscila Rodrigues do Nascimento, Joana Dark Leite, Maurício Fernando Schneider Kirst e Tânia Regina Vieira; 
- How way leads on to way: narrative in an interactive process, de autoria de Maria Luiza Batista Bretas e Vera Maria Tietzmann; 
Leonardo Andrade
Professor Leonardo Andrade (FEFD-UFG) é um dos autores do livro
Autores - O livro que  contou com a coautoria de Leonardo Andrade, que foi professor no CEPAE/UFG e hoje é discente no Programa de Pós-Graduação Stricto Senso da FEFD/UFG. Os outros autores são servidores do IF Goiano, sendo a primeira autora a Professora Tatianne Santos e o segundo o Professor Matias Noll, que também é orientador no Mestrado Acadêmico da FEFD/UFG.

O projeto está dividido em quatro capítulos: “A Comunidade Quilombola do Cedro – uma trajetória de luta e resistência”, apresenta algumas informações sobre a origem e as características dos habitantes remanescentes do quilombo original;  “ Jogos e brincadeiras na escola: fim ou meio?”, aborda a manifestação cultural dos jogos e brincadeiras enquanto processo didático no ambiente escolar; “Explorando a cultura africana pelo brincar”, tem como objetivo principal relatar a origem africana de alguns jogos possibilitando a reflexão sobre a luta do negro diante da escravidão; o quarto capítulo traz a descrição de jogos, brinquedos e brincadeiras praticadas na Comunidade Quilombola do Cedro nas últimas sete décadas.  
O intuito dessa produção é contribuir com a prática pedagógica de professores que estão situados no interior da educação básica, socializando costumes, tradições e, principalmente, manifestações corporais de origem quilombola. Este livro é destinado para professores e professoras que assim como nós, acreditam em uma educação escolar objetiva, pública e transformadora.
Ressalto que a educação escolar tem papel mediato na transformação social, pois atua diretamente na formação dos agentes sociais que farão a ação transformadora, assim poderemos vislumbrar o vir a ser de um mundo melhor. 

Fonte: Secom UFG

Categorias: Humanidades FEFD IFGoiano