Weby shortcut
Icone Instagram
Icone Linkedin
Icone YouTube
Universidade Federal de Goiás

Mudanças procuram fortalecer a segurança na universidade

Criada em 24/07/14 11:46. Atualizada em 21/08/14 11:47.

Logo Jornal

Publicação da Assessoria de Comunicação da Universidade Federal de Goiás 
ANO VII – Nº 66 – Agosto – 2014

Mudanças procuram fortalecer a segurança na universidade

Comunidade acadêmica reflete sobre qualidade de vida nos câmpus da UFG e medidas que ampliam segurança

Texto: Silvânia Lima | Foto: Carlos Siqueira

Questões relacionadas à segurança dentro dos câmpus universitários têm sido pensadas e discutidas pelas universidades federais de todo o País. Na UFG, já há algum tempo, o assunto se tornou pauta permanente, levando a administração, gradativamente, a tomar medidas, a fim de garantir a tranquilidade dos transeuntes e o bom convívio comunitário em todos os seus câmpus.

A instituição amadurece sua política de segurança na busca por caminhos de garanti-la, preservando as características peculiares do ambiente universitário. Ampliação da estrutura física, reformulação e urbanismo dos espaços de convivência, reforço na vigilância e implantação de medidas de segurança são algumas das ações que estão sendo realizadas em todas as Regionais.

O próprio setor de segurança foi reformulado e hoje consiste na Gerência de Segurança Patrimonial (Geseg) da UFG, órgão ligado ao Centro de Gestão do Espaço Físico (Cegef). Suas atividades incluem a elaboração de planos de segurança e normas reguladoras; serviços de operação preventiva contra acidentes e de defesa do patrimônio público, e registro e investigação de anormalidades.

Atualmente, há 532 pessoas envolvidas com a segurança na universidade, entre vigias, vigilantes terceirizados e do quadro efetivo da UFG, em parceria com as Polícias Militar, Civil e Federal e os bombeiros civis. Além dos postos fixos de vigilância, alguns câmpus da UFG dispõem, ainda, de ronda motorizada.

Moto Segurança

A ronda motorizada reforça o serviço de vigilância no Câmpus Samambaia

 

Trabalho integrado amplia estrutura de vigilância

Desde 2010 está em vigor um novo projeto de segurança na UFG. O serviço terceirizado realizado pela empresa Tecnoseg inclui diagnóstico de todas unidades e setores da universidade e propostas de implantação de medidas de segurança em curto e longo prazo. A partir do resultado da pesquisa, são realizadas reuniões com a presença de dirigentes do Cegef para discussão e sensibilização das medidas a serem tomadas juntamente às unidades acadêmicas, aos órgãos e setores da universidade.

Apoiado pelo Sistema Integrado de Segurança (SIS), o projeto faz avaliações constantes das análises de risco, ameaças e vulnerabilidade, em cada localidade da instituição. Outra ação de destaque é o treinamento da vigilância com base no guia de Procedimento Operacional Padrão (POP), realizado pelo Cegef em todas as Regionais.

Um importante ganho dessa mobilização por mais segurança e qualidade de vida nos Câmpus da UFG diz respeito à consolidação da filosofia do trabalho integrado entre os diversos organismos que atuam nos limites da instituição, não só aqueles diretamente envolvidos com a segurança, mas também de colaboradores que atuam nas áreas de telecomunicação, construção civil, limpeza, manutenção e paisagismo, por estarem inseridos no cotidiano da universidade.

 

Ações valorizam participação da comunidade

Uma pesquisa sobre violência, conflitos e crimes, inédita entre as universidades, com três frentes de trabalho, envolvendo docentes e discentes das Faculdades de Ciências Sociais (FCS) e de Informação e Comunicação (FIC), está em andamento. Com uma visão mais ampla sobre violência, o trabalho objetiva subsidiar a elaboração do Plano de Segurança da UFG. Outra atividade, um tipo de ação no Bosque, constitui um espaço de manifestações sobre o Bosque Auguste Saint-Hilare, no Câmpus Samambaia, para incentivar a comunidade a dizer o que pensa sobre sua utilização. O evento ocorrerá nos dias 19 e 20 de agosto, com estrutura para apresentações de música, teatro, vídeo e fotografia, além de painéis e urnas para os interessados em expor suas opiniões e sugestões.

 

Segurança Treinamento

Treinamento de vigias e vigilantes de todas as unidades da UFG busca padronizar os procedimentos operacionais

 

Ocorrências e providências no Câmpus Samambaia

No Câmpus Samambaia, onde é registrado o maior número de demandas junto à Geseg, uma série de medidas de segurança foi implantada. O monitoramento por meio de imagens na parte interna dos prédios já é uma realidade desde 2012. Recursos próprios da ordem de R$ 6,5 milhões estão sendo investidos em equipamentos necessários ao monitoramento externo de todo o câmpus, o que inclui a melhoria da iluminação.

De acordo com dados da Geseg, nesse câmpus, a média de ocorrências registradas nos últimos nove anos é de 320 por ano; em 2013, foram 379 ocorrências atendidas. Com o intuito de proteger o patrimônio público, outras medidas de segurança foram implantadas com sucesso, no Câmpus Samambaia, como exemplo, displays nas portas de laboratórios, permitindo o acesso somente por meio de senhas, e cabos de aço em computadores. A principal delas, contudo, foi a instalação das passarelas cobertas nas laterais dos prédios, que pôs fim ao desnecessário trânsito de pessoas no interior das unidades acadêmicas. “Isso por si só reduziu sobremaneira o número de furtos nas unidades do Câmpus Samambaia”, afirmou Elias Magalhães da Silva, gerente de Segurança Patrimonial da UFG.

Ao fortalecimento de outras medidas preventivas, atribuem-se alguns resultados positivos. Por exemplo, o investimento em pavimentação e sinalização do Câmpus Samambaia reduziram os acidentes de trânsito – em 2010, foram registradas 29 ocorrências, já em 2013, foram 10 ocorrências. Da mesma forma, a redução dos focos de incêndio – em 2011, houve um caso e, nos últimos dois anos, nenhum – está relacionada às ações do Grupo Tático Operacional (GTO), criado para atuar na prevenção de acidentes, furtos e roubos.

Polícia no Câmpus?

Historicamente, devido ao legado deixado pela Ditadura Militar, a presença da polícia costuma não ser bem vista e aceita dentro dos câmpus. O diretor do Cegef, Marco Antônio de Oliveira, informa que não há nenhum impedimento legal da entrada da polícia na instituição, ou seja, as Polícias Militar, Civil e Federal, solicitadas ou não, podem atuar nos câmpus universitários. Antes que cresça pela comunidade universitária algum tipo de sentimento de ameaça à qualidade da vida acadêmica, tornam-se ainda mais importantes a reflexão sobre os vários tipos de violência e ações de combate, o reforço da segurança interna e outras medidas preventivas, a fim de manter a tranquilidade nesses espaços destinados, por natureza, ao ensino, à produção científica, à cultura e ao convívio social

 

Gerência de Segurança da UFG
• Câmpus Colemar Natal e Silva – (62) 3209-6003 / 3209-6296
• Câmpus Samambaia – (62) 3521-1093 / 3521-1337

Categorias: Segurança vigilância Participação

Arquivos relacionados Tamanho Assinatura digital do arquivo
66 P10 PDF 303 Kb 41e4c5902e176bf311f011bf14ae14e7