Weby shortcut
Icone Instagram
Icone Linkedin
Icone YouTube
Universidade Federal de Goiás
Evento Saúde Coletiva

UFG realiza evento internacional de Saúde Coletiva

Criada em 02/05/19 16:40. Atualizada em 03/05/19 09:15.

Pesquisadores brasileiros e franceses fortaleceram parcerias para compartilhamento de experiências e pesquisas

Caroline Pires

O auditório do Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública (IPTSP) recebeu na manhã de hoje, 02/05, pesquisadores de instituições brasileiras e francesas para o Colóquio Internacional Socio-Clinique Institutionnelle et Santé Collective. O evento se destacou por ser organizado por quatro programas de Pós-graduação da UFG em prol de estreitar laços com instituições estrangeiras e fortalecer a realização de pesquisas em parceria. A organização do colóquio foi feita pelo Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Psicologia, o Programa de Pós-Graduação de Ensino em Saúde e o Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Faculdade de Enfermagem.

Evento Saúde Coletiva

(Fotos: Pedro Gabriel)

Durante a abertura, o pró-reitor de Pós-graduação da UFG, Laerte Guimarães, destacou a importância de eventos que reforçam a internacionalização da universidade. “Somos hoje 78 programas de Pós-graduação na UFG e publicamos em 2018 mais de 4 mil artigos. Pela experiência sabemos que sem dúvida nenhuma a colaboração internacional resulta em pesquisas de alto impacto”, afirmou. Ainda segundo Laerte Guimarães, as pesquisas voltadas para o tema da Saúde Coletiva tem enorme alcance social e devem ser adotadas de forma estratégica para enfrentamento ao momento de corte de recursos que as Instituições de ensino superior públicas estão vivenciando.

A professora Edsaura Pereira/IPTSP, reforça a necessidade de unir esforços nesse propósito. “Apesar de muitos apostarem na diminuição do papel das universidades públicas, estamos aqui unindo esforços em prol de fortalecer o círculo virtuoso de cooperação e pesquisas”, reforçou. O diretor do IPTSP, Clecildo Bezerra, lembrou que o programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva já formou mais de 120 mestres, e que conta com a continuidade da parceria com a Secretaria Estadual de Saúde (SES) para a manutenção e consolidação da pós-graduação. A representante da SES, Kelly Cristina Bezerra, já adiantou a intenção de continuação da parceria com a UFG e o interesse em fortalecer o mestrado profissional que funciona na UFG.

Evento Saúde Coletiva

Por fim, Edward Madureira, reitor da UFG, reforçou as falas anteriores em defesa da educação pública e gratuita. Ele lembrou que países como a França adotam esse modelo e são extremamente bem sucedidos no campo da pesquisa. “Ao longo de todo esse tempo como reitor da UFG, afirmo sem sombra de dúvidas que no final das contas, as universidades são produtoras de conhecimento. Hoje somos responsáveis pela oferta de 70% dos programas de pós-graduação do estado de Goiás”, destacou. O reitor reafirmou ainda o seu compromisso em continuar defendendo o sistema público e gratuito de ensino. Por fim, ele lembrou que os projetos de extensão da UFG atingiram mais de 500 mil pessoas no ano passado.

Ao final da cerimônia de abertura, acadêmicos da Escola de Música e Artes Cênicas  (EMAC) realizaram uma apresentação cultural com violinos e encantaram os participantes.

Desafios da Saúde Coletiva

Evento Saúde Coletiva

Dando início as atividades do colóquio, o professor Gilles Monceau, da Universitè de Cergy-Pontoise, da França e a professora Solange L'Abbate, professora de Saúde Coletiva, da Faculdade de Ciências Médicas, da Universidade de Campinas. Em suas falas os professores realizaram um paralelo entre o desenvolvimento da Socioclínica Institucional de Saúde Coletiva, na França e no Brasil.

O colóquio será um espaço de debates, reflexões, intercâmbios entre o Brasil e a França e de divulgação de conhecimento sobre a análise institucional e a saúde coletiva.

Fonte: Secom UFG

Categorias: Saúde