Weby shortcut
Icone Instagram
Icone Linkedin
Icone YouTube
Universidade Federal de Goiás
Irrigação

Irrigação durante as chuvas pode aumentar a produção de feijão

Criada em 30/10/19 14:30. Atualizada em 09/01/20 13:41.

A produção de feijão irrigado durante o período de chuvas traz estabilidade de produção entre as safras

Kharen Stecca

O feijão é um alimento que está presente todos os dias na mesa do brasileiro, sendo uma importante fonte de proteína. Sua produção é feita na época de chuvas e também da seca. Uma pesquisa observou que o déficit hídrico durante o período chuvoso pode levar a perdas de 34% na produtividade potencial, o que pode ser corrigido com o uso do pivô central durante o período de chuvas. A irrigação é utilizada para suprir as demandas da planta em curtos períodos de falta de água, os chamados veranicos. 

A pesquisa foi realizada pela Escola de Agronomia da Universidade Federal de Goiás, Embrapa Arroz e Feijão e Instituto Federal de Brasília, com a coordenação do professor José Alves Júnior. O professor explica que, apesar de as safras da seca (período do inverno em nossa região) apresentarem produtividades mais elevadas que as do período chuvoso, há conflito pelo uso da água devido à alta demanda da cultura e baixa oferta nos mananciais de água, como rios, principalmente no entorno de Goiânia. Por outro lado, a irrigação no período das chuvas eleva a produtividade do feijão, utilizando menos água para irrigação que as safras da seca e do inverno, durante um período do ano em que os rios apresentam maior disponibilidade de água. 

O estado de Goiás produziu 367 mil toneladas na safra 2017/2018, incluindo as safras das águas, da seca e do inverno. A safra das águas ocorre com plantios de novembro a dezembro, a da seca de janeiro a fevereiro, e a de inverno de maio a junho. Mesmo com as perdas, a irrigação não costuma ser utilizada no período de chuvas. A pesquisa foi desenvolvida na região de Santo Antônio de Goiás (GO).

Com os resultados obtidos, verificou-se que o uso de irrigação por pivô central para o cultivo do feijão apresentou retorno econômico similar ao do período seco durante as semeaduras do período chuvoso (outubro a dezembro), gerando estabilidade de produção de alimento entre os anos de cultivo, utilizando-se água para irrigação em um período do ano em que os rios apresentam maior oferta. O aumento de produtividade alcançou, em média, 500 kg/ha, representando um aumento de 27%, valores que podem dobrar em safras com baixa quantidade de chuvas. Por outro lado, uma garantia de preço mínimo de venda do produto é de extrema importância para a viabilidade de implantação desse sistema produtivo.

O estudo completo foi publicado no periódico internacional Agricultural Water Management e pode ser acessado na íntegra no link (Assessment of economic returns by using a central pivot system to irrigate common beans during the rainfed season in Central Brazil).

Fonte: Secom UFG

Categorias: Ciências Naturais destaque