Weby shortcut
Icone Instagram
Icone Linkedin
Icone YouTube
Universidade Federal de Goiás
FE Libâneo

Faculdade de Educação homenageia o professor José Carlos Libâneo

Criada em 06/11/19 14:45. Atualizada em 06/11/19 14:53.

Homenagem fez parte da programação do XXIV Simpósio de Estudos e Pesquisas da FE

A Faculdade de Educação da Universidade Federal de Goiás (FE/UFG) homenageou nesta terça-feira (5/11) o professor e pesquisador José Carlos Libâneo, referência nacional e internacional nos campos da Pedagogia e da Didática. A homenagem integrou a programação do XXIV Simpósio de Estudos e Pesquisas da FE/UFG.

Assista ao vídeo da cerimônia de homenagem ao professor José Carlos Libâneo.

Lembrando da participação ativa do professor em defesa da democracia e contra a ditadura, o reitor da UFG Edward Madureira Brasil falou do momento oportuno da homenagem. "O seu exemplo, a sua trajetória e tudo aquilo que você construiu certamente serão muito úteis para nós novamente, em um momento de tanto obscurantismo. É assim que nós mostramos como a Universidade é construída".

Orientanda de mestrado do professor Libâneo, a vice-reitora da UFG, Sandramara Matias Chaves, falou da trajetória de parceria profissional e pessoal com o homenageado. "É uma história de luta e de compromisso com a educação, a pedagogia, a didática e a formação de professores. Durante todos esses anos, acompanho de perto essa convicção e o papel que ele foi adquirindo no Brasil e fora do país", disse.

José Carlos Libâneo graduou-se em Filosofia e é mestre em Filosofia da Educação e doutor em Filosofia e História da Educação – títulos recebidos pela PUC de São Paulo. Foi professor da Faculdade de Educação da UFG por cerca de 20 anos, pela qual se aposentou, e atualmente leciona na PUC Goiás, no Programa de Pós-Graduação em Educação. Suas pesquisas são desenvolvidas na perspectiva histórico-cultural, abrangendo temas como teoria da educação, didática, formação de professores, ensino e aprendizagem, organização e gestão da escola.

"Amo ser professor"

"Meus alunos de hoje e de ontem sabem como dobra minha motivação ver seus olhos atentos e perscrutadores, e como suas perguntas me fazem melhorar meus argumentos e alimentam minhas reflexões. Eu amo ser professor", disse o professor José Carlos Libâneo. Ele agradeceu as homenagens recebidas e a presença de amigos e familiares.

Libâneo contou que chegou a Goiânia com a família em 1973, vindo de Angatuba (SP), a convite da Secretaria Estadual de Educação, para fundar um centro de formação de professores. Dois anos depois, participou do concurso e se tornou professor da FE/UFG. Sete meses depois foi demitido, perseguido pela ditadura militar por sua atuação no movimento Ação Popular. Sua recondução ocorreu em 1979, com a Lei da Anistia.

O professor continua convicto de suas causas. "Continuo lutando com todas as minhas forças contra a desigualdade social. É vergonhoso saber que o Brasil é o país mais desigual do mundo, em que 1% da população concentra 28% de toda a renda bruta. Mantenho a convicção de que a desigualdade no acesso ao conhecimento escolar amplia a desigualdade social e amplia o número de excluídos na sociedade. Desigualdades sociais produzem desigualdades educativas e desigualdades educativas produzem desigualdades sociais".

Libâneo ainda falou sobre o que chama de escola justa. "É a escola que proporciona uma formação cultural e científica, visando o desenvolvimento das capacidades humanas em estreita ligação com a diversidade sociocultural".

FE Libâneo
Pró-reitora de Graduação, Jaqueline Civardi, reitor Edward Madureira,
vice-reitora Sandramara Matias e o professor José Carlos Libâneo

Confira outros depoimentos em homenagem ao professor José Carlos Libâneo:

"Libâneo, durante a graduação em Filosofia na PUC de São Paulo, teve uma participação muito grande no movimento estudantil, participando do Centro Acadêmico, e depois a inserção na Ação Popular. Isso marcou profundamente a trajetória acadêmica, teórica e profissional do professor Carlos Libâneo, que é pensar a educação, fazer a educação na perspectiva progressista".
Adão José Peixoto, coordenador do XXIV Simpósio de Estudos e Pesquisas da FE/UFG.

"O professor Libâneo fez e faz parte da minha trajetória acadêmica e profissional aqui na Faculdade de Educação, desde a minha entrada. Os seus livros e seus textos são estudados tanto nesta casa de ensino quanto em outras faculdades de educação do país".
Lueli Nogueira Duarte da Silva, diretora da FE/UFG.

"O segundo autor mais citado em todos os concursos para professores do Brasil é também uma pessoa tão simples e tão humilde que está sempre disposta a aprender mais com cada uma das pessoas com quem ela convive. Esse amor à educação, esse amor ao conhecimento, ele transmite a todos que convivem com ele, como professor, ou aqueles que convivem de forma indireta, através dos seus escritos".
Denise Silva Araújo, coordenadora do curso de Pedagogia da FE/UFG.

"Agradecemos ao professor Libâneo pela sua participação na construção do Programa de Pós-Graduação em Educação. Em 2016 celebramos 30 anos e o professor fez parte do início dessa história. Muitos que hoje são professores e orientadores na Universidade Federal de Goiás, na Universidade Estadual, nos Institutos e na PUC Goiás foram orientandos do professor Libâneo".
Sandra Valéria Limonta Rosa, representando o Programa de Pós-Graduação em Educação da FE/UFG.

"Essa geração de professores brasileiros, da qual fazemos parte, tem no professor José Carlos Libâneo um exemplo referencial para seguir lutando por uma formação humana crítica e de qualidade, por meio da apropriação do conhecimento. O estado de Goiás, em particular, conta com a sua contribuição intelectual no campo da educação desde os idos de 1970, defendendo a natureza epistemológica da Pedagogia como área do conhecimento que investiga a realidade educativa".
Dalva Eterna Gonçalves Rosa, representando os professores da área de didática e estágio.

"O professor Libâneo participa do nosso grupo de estudos porque é um inspirador e está junto conosco sempre trocando ideias nesse universo na didática. O aluno escreve no livro, no caderno, inspirado pelo professor, porque o professor escreve na alma. E o professor Libâneo está fazendo uma bela história na alma de cada um".
Carlos Cardoso Silva, representando o Grupo de Estudos e Pesquisas em Didática e Questões Contemporâneas (Didaktiké).

"O nosso agradecimento ao compromisso e à luta em prol da escola pública, a seriedade com a formação dos pesquisadores e a colaboração conosco, que somos da nova geração da equipe de didática. O professor Libâneo compôs a primeira diretoria do Centro de Estudos e Pesquisas em Didática e desde a sua constituição, quando ocorreu o maior evento da área em Goiânia, ele está na comissão diretiva, estando em várias funções".
Marilza Vanessa Rosa Suanno, representando o Grupo de Estudos e Pesquisas em Didática e Questões Contemporâneas (Didaktiké).

"O que marca todo o trabalho do Libâneo é o seu profundo sentido de constituir uma perspectiva educacional, pedagógica e didática, de maneira que contribua para que todas as pessoas possam ter acesso e usufruir do conhecimento como condição de desenvolvimento pessoal e social".
Raquel Aparecida Marra da Madeira Freitas, representando o Grupo de Pesquisa Teorias da Educação e Processos Pedagógicos, da PUC Goiás.

"O professor José Carlos Libâneo é um professor que nós admiramos pelo que ele é, pelo que representa, pela sua generosidade e pela sua sensibilidade. O admiramos pelo seu compromisso com a educação, com a democratização da escola pública e por sua luta pela justiça social da escola, por uma formação cultural e científica articulada à diversidade social e cultural".
Wesley Brito Magalhães, representando os estudantes.

"É preciso reavivar os espíritos de luta e de resistência política e isso traz à lembrança a vivência que o nosso mestre teve no período da ditadura, sendo demitido da UFG devido ao seu engajamento nas lutas populares e na defesa da democracia. Temos diante de nós não só um grande intelectual e teórico, mas uma grande pessoa que é o professor José Carlos Libâneo".
Sandra Camargo, representando os estudantes.

Fonte: Secom/UFG

Categorias: Humanidades