Icone Instagram
Icone Linkedin
Icone YouTube
Universidade Federal de Goiás
Fruto do Cerrado

Estudo confirma potencial prebiótico dos frutos puçá e gabiroba

Em 13/01/21 10:42. Atualizada em 13/01/21 11:02.

Avaliação in vitro dos resíduos revelou potencial nutricional e tecnológico dos frutos do Cerrado

Amanda Birck

O estudo realizado no âmbito da Faculdade de Nutrição da Universidade Federal de Goiás revelou o potencial prebiótico  das cascas e sementes dos frutos do Cerrado puçá e gabiroba. A análise realizada com os resíduos dos frutos identificou a propriedade que favorece a multiplicação de bactérias benéficas à digestão.  De acordo com a pesquisa, a utilização dos resíduos pela indústria de alimentos pode evitar o desperdício e, assim, diminuir o impacto ambiental causado pela geração excessiva de restos descartados dos frutos.

Fruto do Cerrado

A pesquisa realizada pela acadêmica de mestrado, Jéssica Barbosa, e orientada pela professora, Patrícia Tette, consiste na avaliação do potencial prebiótico in vitro dos resíduos dos frutos, onde são colhidas apenas suas cascas e sementes. São então determinadas as características físico-químicas do material, além da capacidade de culturas das bactérias Lactobacillus e Bifidobacterium em utilizar os resíduos dos frutos como fonte de energia. É analisado também o efeito dos resíduos sobre a atividade metabólica bacteriana, que é relacionada ao consumo de açúcares e produção de ácidos orgânicos.

Além do potencial prebiótico descoberto dos resíduos, conclui-se que os objetos de pesquisa possuem alta qualidade nutricional e potencial tecnológico, podendo ser inseridos na alimentação humana de forma eficaz e também comercializados na indústria alimentícia. O puçá é rico em vitamina C, carotenóides, antocianinas e flavonóides. A gabiroba, por sua vez, apresenta fibras, ferro, potássio e cálcio, determinando os altos níveis de antioxidantes de ambos. O impacto ambiental negativo, que poderia ser causado pelo excesso dos subprodutos dos frutos, dá lugar à reutilização da matéria-prima em forma de compotas, geleias, sorvetes, picolés e sucos, com boa aceitação sensorial.

Desenvolvida no Laboratório de Controle Higiênico-Sanitário de Alimentos (LCHSA) e no Laboratório de Nutrição e Análise de Alimentos (LANAL), ambos da FANUT, a pesquisa é parte do PRE-PROBIO, um grupo de estudos destinado ao aperfeiçoamento de práticas científicas com foco no contexto de pre, pro e simbióticos. São também desenvolvidos neste grupo estudos com outros resíduos de frutos do Cerrado, como o baru e o pequi.

 

Fonte: Secom-UFG

Categorias: destaque FN