Icone Instagram
Icone Linkedin
Icone YouTube
Universidade Federal de Goiás
aroma

Live promove aprendizado sobre aromas e suas características

Em 28/07/22 15:44. Atualizada em 28/07/22 15:44.

Palestra fez um panorama da história dos aromas, classificações e aspectos químicos

Michely Moura Loures

Os aromas são formados por substâncias químicas (como ácidos e álcoois) em pequenas quantidades, que não se relacionam com quaisquer outras características de seu ponto de origem. Na segunda-feira, dia 25/7, às, 13h, em transmissão no canal WebCiência IQ-UFG, o Instituto de Química (IQ/UFG), realizou uma live para uma conversa sobre a história dos aromas, suas classificações e a química dos mesmos. O evento foi mediado pela professora do IQ/UFG, Vanessa Pasqualotto e pela professora doutora Cláudia Moraes de Rezende, especialista na química do aroma e titular do Instituto de Química da Universidade Federal do Rio de Janeiro.
Os aromas, que também são responsáveis, quando com alimentos e produtos de beleza e cosméticos como perfumes e fragrâncias, pela aceitação do mesmo e estimulam o apetite e olfato de quem os consomem são muito importantes para o setor alimentício, além do setor de cosméticos. No evento, a professora Cláudia explicou diversas características dos aromas, além de sua história e importância ao longo dos anos e diversas curiosidades sobre os mesmos.

A palestra começou com a origem do aroma, indo de odores alimentares até as fragrâncias e perfumes. Passou também por diversos períodos e figuras históricas, falando sobre o surgimento das casas de perfumaria e do nascimento da perfumaria da Era Moderna, incluindo uma explicação sobre o perfume Chanel nº 5, criado em 1921 pelo perfumista Ernest Beaux, famoso por seu cheiro único e sua inovação ao introduzir um composto olfativo chamado aldeído láurico, proveniente das cascas de frutas cítricas.
A professora, ao falar do Brasil e seus aromas, diz que “Nós, os nossos nativos, se banhavam diariamente, coisa que a Europa não fazia. Através dos banhos de cheiro, dos banhos de descarrego, em função da religião, empregavam as ervas e flores tropicais e exóticas que eram absolutamente desconhecidas aos europeus”, afirma. E isso, segundo ela, explica as características únicas dos aromas do Brasil.
Foi explicado também os odores humanos e da superfície porosa da pele, e as substâncias químicas que originam cada um, como odor ruim no couro cabeludo, suor nos pés e mau-hálito. Além disso, a professora sintetizou a composição de um perfume e qual a função de cada parte, passando também para as principais técnicas de amostragem de voláteis, usadas na fabricação de perfumes e fragrâncias.
Ao final do evento, a palestrante respondeu diversas dúvidas dos espectadores da transmissão. Foram respondidas dúvidas em relação ao olfato e sua relação com os odores de diversos ambientes, e também sobre legislação para a redução de odores industriais no meio ambiente. Segundo Cláudia, “as indústrias são penalizadas por liberarem esses fumos, se você faz uma denúncia, o órgão ambiental vai direto em cima da empresa, porque tem legislação séria para controlar isso, precisa de denúncia'', afirma. Mostrando então, a extensão do assunto também na área ambiental, além das de cosméticos e alimentícia.


Categorias: Ciências Naturais IQ