Weby shortcut
Icone Instagram
Icone Linkedin
Icone YouTube
Universidade Federal de Goiás

Indices Econômicos 2011/1

Criada em 23/12/11 00:07. Atualizada em 21/08/14 11:45.

 

 

 

Boletim de Conjuntura Econômica de Goiás – N.11/mar. 2011

RESULTADOS

 

Produção Industrial Mensal – Produção Física: Janeiro de 2011

Na passagem de dezembro de 2010 para janeiro de 2011, os índices regionais da produção industrial, descontados os efeitos sazonais, mostraram crescimento em sete dos quatorze locais pesquisados pelo IBGE, com destaque para o avanço mais acentuados vindo do Espírito Santo (9,4%). Goiás, por sua vez, apresentou o recuo mais acentuado dentre os locais pesquisados - 4,6% -, conforme podemos observar na tabela abaixo.

Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Indústria.

Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA: Fevereiro de 2011

Em fevereiro de 2011, o IPCA apresentou variações de 0,79% e 0,73% no Brasil e em Goiânia, respectivamente. No município de Goiânia, o resultado assinalado é o maior desde outubro de 2010, conforme podemos observar no gráfico 2.

 

Gráfico 2

Variações do IPCA no Brasil e em Goiânia: fev./2011

Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Índices de Preços.

 

Os produtos com os maiores acréscimos, no Brasil, foram: Melão (22,7%), Tomate (17,8%), Brócolis (17,2%), Polpa de Açaí (14,8%) e Alface (13%). Conforme podemos observar na tabela abaixo, os grupos, a nível nacional, apresentaram as seguintes variações: Alimentação e bebidas (0,23%), Habitação (0,32%), Artigos de residência (0,44%), Vestuário (-0,25%), Transportes (0,46%), Saúde e cuidados pessoais (0,31%), Despesas pessoais (1,43%), Educação (5,81%) e Comunicação (0,49%).

 

 

Variação do IPCA (índice geral e grupos) - Brasil

Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Índices de Preços.

 

Índice Nacional de Preços ao Consumidor – INPC: Fevereiro de 2011

Em fevereiro de 2011, o INPC variou 0,54% no Brasil e 0,37% em Goiânia - ver Gráfico 3. Os produtos ou serviços que apresentaram as maiores e menores variações, no município, foram: Repolho (20,6%), Tomate (18,6%), Transporte Escolar (10,5%), Ensino Fundamental (10,5%), Educação Infantil (10,2%), Batata – inglesa (-11%), Feijão Carioca (-10,7%), Feijão - preto (-10%), Maçã (-7,8%) e Pão Doce (-7,6%). Os grupos apresentaram as seguintes variações: Alimentação e bebidas (-0,07%), Habitação (-0,1%), Artigos de residência (-0,43%), Vestuário (0,35%), Transportes (0,15%), Saúde e cuidados pessoais (0%), Despesas pessoais (1,59%), Educação (5,55%) e Comunicação (0,23%).

 

Gráfico 3

Variações do INPC no Brasil e em Goiânia: fev./2011

Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Índices de Preços.

 

Veja aqui o conteúdo deste boletim na íntegra

 

Boletim de Conjuntura Econômica de Goiás – N.12/maio. 2011

RESUMO

 

Os indicadores sobre a economia goiana mostram uma certa acomodação do ritmo de atividade econômica e aumento da inflação no Estado. Quando se considera a série com ajuste sazonal, verifica-se que o volume de vendas do comércio varejista cresceu 0,1% em março de 2011, comparado ao mês de fevereiro deste ano. Nesta série, o índice acumula aumento de 1,8% no ano, enquanto que o nacional cresceu 2,8% no mesmo período. No caso do setor industrial, as informações revelam que a indústria goiana apresentou indicadores de produção industrial inferiores à média nacional em março de 2011 com relação ao mês anterior. Dos 14 locais pesquisados pelo IBGE, sete apresentaram aumento da produção industrial nesta base de comparação e o Estado de Goiás ficou entre os outros sete locais em que houve queda da produção industrial no período. Naquele mês, a produção industrial de Goiás caiu 0,6% em relação ao mês anterior, na série com ajustamento sazonal, enquanto que, no Brasil, o índice aumentou 0,5%. Por outro lado, a inflação continua a crescer no Brasil e no município de Goiânia. Para o mês de abril de 2011, o IPCA apresentou variação de 0,77% e 0,90% no Brasil e no município de Goiânia, respectivamente. Já o INPC apresentou variações de 0,72% no Brasil e 0,69% no município de Goiânia.

 Veja o conteúdo completo desta edição