Weby shortcut
Icone Instagram
Icone Linkedin
Icone YouTube
Universidade Federal de Goiás
Workshop Climatologia

É preciso atrair estudantes para a área espacial

Criada em 14/05/19 17:17. Atualizada em 16/05/19 12:40.

Discussão ocorreu durante Workshop de Climatologia realizado pelo Iesa em parceria com a Agência Espacial Brasileira

Augusto Araújo

O Instituto de Estudos Socioambientais (Iesa) recebeu nesta terça-feira, 14 de maio, um Workshop de Climatologia, realizado com uma parceria entre a Universidade Federal de Goiás (UFG) e a Agência Espacial Brasileira (AEB). A atividade teve um intuito de divulgação científica, propondo a discussão da importância do monitoramento via satélite em território nacional.   

Durante a sua apresentação, a tecnologista Adriana Correa destacou algumas funções da Agência Espacial Brasileira e suas especificidades. ''A EAB é responsável por formular, coordenar e executar a Política Espacial Brasileira, e promover sua autonomia espacial''. Isso se torna possível através  de atividades como: monitoramento de biomas, queimadas, meteorologia e o rastreamento de petróleo por satélite.

“Divulgar nosso trabalho é sempre muito bom para a área espacial, que é um setor que muitos brasileiros não enxergam como importante para o nosso País, é estratégica. Divulgando para outras pessoas, especialmente aos estudantes, mostramos que é uma área que precisa, sim, de investimentos, pode dar um retorno bom para o nosso País” indicou a palestrante.

Foram ainda levantadas em sua apresentação outras funções que as informações obtidas por satélites podem oferecer, como sistemas de posicionamento e navegação (GPS, por exemplo), auxílio na agricultura de precisão e avaliação da expansão urbana. 

Ainda em sua palestra, a tecnologista realizou dinâmicas para chamar a atenção do público e apresentou vídeos, mostrando o lançamento de satélites e parcerias entre o Brasil a China em tecnologias de estudos e mapeamentos espaciais.  ''É importante conversar com as universidades, onde o conhecimento é gerado, e as indústrias, onde as inovações estão sendo postas em prática. Precisamos que as pessoas conheçam e se envolvam mais com o programa espacial brasileiro'', complementou Adriana.

Workshop Climatologia

Um dos objetivos do evento também foi expandir o alcance do Projeto de Educação da Plataforma E2T (Espaço, Educação e Tecnologia) da AEB. A plataforma sistematiza e reorganiza iniciativas de forma que opere com eficiência. Para tal, um dos objetivos da E2T é atrair jovens para a área espacial e estimular a entrada destes em carreiras voltadas às tecnologias espaciais.

Outro intuito do workshop foi discutir a importância dos dados gerados pela AEB, explicou a professora Juliana Barros, especialista em Climatologia Geográfica. ''Nós queríamos trazer esse projeto das oficinas para cá, para expandir para as escolas, como sediar essa discussão de como os dados são gerados e o quê que se faz com esses dados. A ideia surgiu disso, mostrar para os professores da rede, alunos da UFG como esse dado é produzido até como podemos usar''.

Evento

Em seu primeiro dia, foram realizadas rodas de conversa e palestras. Elas tem como função explicar aos alunos como foi a concepção do projeto e sua importância, segundo a professora Juliana. Além da palestra com Adriana Correa, a própria professora Juliana Barros também se apresentou nesta terça de manhã, assim como o professor Manuel Ferreira (ambos da UFG). Na parte da tarde, o workshop continuou, com palestras apresentadas por Elizabeth Alves (Inmet), os professores Lucas Barbosa e Souza (UFT) e o professor Marco Antônio (SEE/GO).

O workshop vai se estender em uma segunda parte na quarta-feira (15).  Será também realizada uma palestra  pelos coordenadores do projeto Clima Escola, Izaias e Ronaldo César. O Clima Escola é uma iniciativa que objetiva a instalação de estações meteorológicas em escolas, de modo a estimular os alunos a entrar em contato com técnicas científicas. Além disso, as escolas produzem relatórios e dados que  são postos no site do projeto, podendo ser utilizados para investigações científicas, tais como: atmosfera (clima), solos, vegetação e hidrologia (estudo das águas).

Por fim, será realizada uma oficina de montagem e manuseio de Estação Meteorológica, com a doação de 15 estações para escolas da rede municipal de Goiânia  e para a UFG.

Fonte: Lapig UFG

Categorias: Ciências Naturais