Weby shortcut
Icone Instagram
Icone Linkedin
Icone YouTube
Universidade Federal de Goiás

Centro de Línguas fortifica laços com a comunidade

Criada em 12/09/13 11:52. Atualizada em 21/08/14 11:47.

Logo Jornal

Publicação da Assessoria de Comunicação da Universidade Federal de Goiás 
ANO VII – Nº 61 – AGOSTO – 2013

Centro de Línguas fortifica laços com a comunidade

Além de servir como espaço de estágio para estudantes, o projeto de extensão e cultura tem número cada vez maior de interessados que não possuem vínculo direto com a instituição

Texto: Erneilton Lacerda | Foto: Matheus Geovane

 

Aula Centro de Línguas

Professora de inglês desde 2001, Ana Cristina atribui a repercussão do Centro de Línguas na comunidade ao envolvimento de amigos e familiares dos estudantes

Estudante do segundo semestre do curso de Geografia da UFG, o administrador Warlen Karley Moraes comemora o fato de estar fazendo uma segunda graduação em uma das principais instituições de ensino do Centro-Oeste. Engana-se, porém, quem pensa que a história dele com a instituição iniciou-se há alguns meses. Seu primeiro contato com a universidade foi em 2011, quando ingressou no curso de inglês ofertado pelo Centro de Línguas (CL), projeto de extensão e cultura ligado à Faculdade de Letras. Assim como Warlen Karley, diversas outras pessoas começam a se apropriar do espaço universitário por meio de um curso de línguas e, a partir de então, muitos optam em fazer também um curso de graduação ou de pós-graduação.

“A qualidade de ensino da UFG e o preço acessível foram os principais atrativos que me levaram a fazer o curso no Centro de Línguas”, reconhece Warlen Karley. Atualmente, a matrícula dele no projeto está trancada devido à dificuldade em conciliar o trabalho e os estudos. Entretanto, ele afirma: “minha intenção é voltar o mais rápido possível. Pretendo fazer um intercâmbio dentro de algum tempo e, para isso, o Centro de Línguas será imprescindível”.

Dentre as diversas ações de extensão e cultura promovidas pela Universidade Federal de Goiás, por meio da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (Proec), o Centro de Línguas, em funcionamento desde 1995, é um dos destaques devido ao grande alcance e à repercussão positiva alcançados junto à comunidade. Todas as ações da Proec podem ser consultadas pelo site www.proec.ufg.br.

Para o segundo semestre letivo de 2013, as turmas abertas foram nos cursos de Inglês, Inglês Instrumental, Espanhol, Francês, Italiano, Alemão, Português para concursos e Português para estrangeiros. Nesse semestre, o CL registrou mais de três mil matrículas, em 117 turmas, sendo que mais da metade dos matriculados não estudam nem trabalham na universidade. De acordo com Antón Corbacho Quintela, coordenador desde janeiro de 2011, “o Centro de Línguas é a ação de Extensão e Cultura de maior porte dentro da Fundação de Apoio à Pesquisa da UFG (Funape) e também a maior do Centro-Oeste que oferece cursos de idiomas. Boa parte das pessoas que fazem os cursos de línguas não são da UFG. A maior demanda vem de fora da universidade”.

O reitor da UFG, Edward Madureira Brasil, salienta que “a universidade realiza uma inserção fundamental, que é a condução e implementação de políticas públicas. Atua como o grande agente formador, auxiliando os atores das diferentes esferas da sociedade e de governo na qualificação de pessoal. Com nosso poder de mobilização e credibilidade, sobretudo a partir da expansão realizada nos últimos anos, estamos preparados para fazer muito mais que isso. Trabalhando de forma integrada, em projetos como esse, vamos construir um país cada dia melhor”, aspira.

O Plano Nacional de Extensão, lançado em 2011 pelo governo federal, traz a extensão universitária como um “processo educativo, cultural e científico que articula o Ensino e a Pesquisa de forma indissociável e viabiliza a relação transformadora entre universidade e sociedade”. É nesse sentido que atua o Centro de Línguas: proporcionando o ensino de línguas à comunidade acadêmica e também às pessoas sem qualquer vínculo com a UFG.

Professor Antón Quintela

Coordenador do Centro de Línguas, Antón Quintela, afirma que boa parte das pessoas que fazem os cursos não são da UFG

Instrutores – O CL também funciona como um importante campo de estágio dentro da UFG. Para ser um dos instrutores, é preciso enquadrar-se em uma das quatro modalidades: estágio remunerado (para os estudantes da Faculdade de Letras), instrução contratada (geralmente, para ex-estagiários), ser docente da Faculdade de Letras ou ser docente voluntário. Atualmente, 47 instrutores fazem parte da equipe. Os alunos da própria faculdade que desejam ser instrutores no Centro de Línguas precisam se submeter a um processo seletivo e, posteriormente, a um curso de capacitação.

Por esse processo de estágio passou a professora de Inglês Ana Cristina Silva, que concluiu a graduação Letras – Inglês, em 2011. Ela, que já exerce a docência em língua inglesa desde 2001, agora é instrutora contratada. Segundo ela, o CL é um projeto de extensão com o qual há muitas pessoas envolvidas e, por este motivo, tem um grande alcance perante a comunidade em geral. “Temos uma demanda cada vez maior de alunos que não estudam na UFG, como exemplo, familiares e amigos de quem estuda na universidade. Penso que essa abertura só traz benefícios para o projeto: o crescimento do número de alunos, das turmas e do espaço utilizado pelo CL só tem aumentado ao longo dos anos”, enumera Ana Cristina.

Parcerias – Para ampliar a oferta de cursos de idioma para a comunidade universitária e a comunidade em geral, o Centro de Línguas passou a realizar parcerias com entidades, por meio da assinatura de um termo de colaboração. A primeira parceria surgiu por uma petição feita, em 2011, pelos Correios ao reitor da universidade e, desde então, órgãos como a Advocacia Geral da União (AGU) e a Receita Federal e entidades religiosas (como a Paróquia Nossa Senhora da Assunção e a Igreja Luz para os Povos) também têm parceria com o CL.

Ana Cristina teve também oportunidade de trabalhar com três parceiras do projeto: uma paróquia, uma igreja evangélica e a Advocacia Geral da União (AGU). Questionada se há algum tipo de adaptação entre as aulas ministradas na universidade ou nos projetos, a professora ressalta que “o plano de aula tem de ser flexível, pois mudanças podem surgir. Então, algumas adaptações podem ser feitas devido à mudança de ambiente ou aos alunos”.

 

VALOR SEMESTRAL DA MATRÍCULA

Faculdade de Letras     
Funcionários, professores e alunos
Taxa única
R$ 186,00
Contracheque,
comprovante matrícula,
carteira BC
Comunidade Universitária     
Funcionários, professores e alunos
de outras unidades e órgãos da UFG
Taxa única
R$ 297,00

Contracheque,
comprovante matrícula,
carteira BC
Comunidade Geral         
Pessoas sem vínculo com a UFG
Taxa única
R$ 371,00
Comprovante de que
já cursou ou está
cursando o Ensino Médio

O CL oferece descontos para a matrícula em um segundo curso, desde que comprovem o vínculo. Os parentes de primeiro grau de um aluno já matriculado terão 10% de desconto. Mais informações: www.cl.ufg.br

Fonte: Ascom UFG

Categorias: línguas curso Extensão

Arquivos relacionados Tamanho Assinatura digital do arquivo
61 p5 201 Kb 23a72978a4ab86f2fcb87c0730755feb