Weby shortcut
Icone Instagram
Icone Linkedin
Icone YouTube
Universidade Federal de Goiás

Empresas juniores: uma opção de experiência dentro da Universidade

Criada em 18/11/14 09:38. Atualizada em 25/11/14 08:08.

Logo Jornal

Publicação da Assessoria de Comunicação da Universidade Federal de Goiás 
ANO VII – Nº 69 – Novembro/Dezembro– 2014

Empresas juniores: uma opção de experiência dentro da Universidade

Alunos da UFG reforçam aprendizado por meio do Programa Empresa Junior

Texto: Warlos Morais | Foto: Carlos Siqueira

  

As empresas juniores surgiram pela iniciativa de estudantes de instituições de ensino superior. Elas são instituídas como associações civis que oferecem e realizam projetos e serviços para a comunidade. Na Universidade Federal de Goiás, as atividades que vão além da extensão e pesquisa no meio acadêmico têm a finalidade de impulsionar a cultura do empreendedorismo entre os estudantes e auxiliar o desenvolvimento econômico e social.

As empresas juniores da UFG se destacam pela autonomia dos estudantes empreendedores, embora ainda recebam orientações de professores.

Em 2010, a Universidade aprovou a resolução de criação do Núcleo das Empresas Juniores (NEJ), que normatizou o programa institucional, vinculando as empresas a UFG. O núcleo é uma organização que incentiva a criação de empresas juniores e acompanha o desenvolvimento delas.

Atualmente, a  UFG tem 22 empresas. Além do apoio do NEJ, elas têm o auxílio da Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação (PRPI). Em reuniões com membros das empresas, o NEJ e a PRPI discutem o diagnóstico atual de cada uma, para detectar possíveis falhas, e debatem ideias para aprimorar o plano de gestão. Participaram das reuniões as empresas Consultoria Integrada de Produção e Processamento de Alimentos (Cippal), da Escola de Agronomia; ELO, das engenharias; Federal Prime, de Ciências Contábeis e Gaia, do Instituto de Estudos Socioambientais (Iesa).

Porém, um problema que a maioria das empresas juniores enfrenta é a falta de infraestrutura, por também depender da disponibilidade de recursos fornecidos pelas unidades acadêmicas. Os membros da  Federal Prime, por exemplo, por muito tempo, atenderam  seus clientes na sala da coordenação do curso. “Isso é um grande problema, pois a equipe é grande, obrigando-nos a fazer um revezamento e até mesmo trabalhar em casa”, diz Marcos Felipe, presidente da empresa. A equipe aguarda uma nova sede anexada ao prédio da Faculdade de Administração, Ciências Contábeis e Ciências Econômicas (Face), que será compartilhada com outras duas empresas juniores, a do curso de Administração e a de Ciências Econômicas. Marcos Felipe acredita que a nova sala contribuirá com o rendimento da empresa e espera que, além de um espaço mais confortável, haja uma boa convivência entre os integrantes. A Gaia também aguarda por um novo espaço para a sede da empresa, que será fornecido pelo Iesa; enquanto isso, ela continua instalada na antiga sala dos serviços gerais, com apenas três computadores à disposição dos 27 membros da empresa.

Cippal

Com 14 anos de existência, a Cippal é a pioneira das empresas juniores da UFG e se apoia em três pilares: professor, aluno e cliente. A orientação dos professores foi fundamental para o êxito da empresa, pois eles contribuíram para a consolidação do contato com os clientes. A demanda de projetos é em torno de 60 a 80 por ano. A Cippal atua em consultorias e elaboração de eventos, prestação de serviços, desenvolvimento de projetos para empresas e entidades do setor Alimentício e do Agronegócio e, constantemente, na pesquisa de mercado e análise de alimentos. Hoje, a equipe é formada por 15 membros, que passaram por um processo trainee, sendo direcionados para a área mais adequada a seu perfil. Contatos: 3521-1548 | cippal.agro.ufg.br

Federal Prime

A Federal Prime foi criada em 2009, mas se consolidou no mercado em 2011. Em sua terceira gestão, a empresa vem conquistando posição de destaque na Universidade. Atualmente, com 14 membros, ela presta serviços tanto para outras empresas juniores, quanto para microempresas fora da Universidade. Sua atuação consiste em fornecer assessoria financeira e jurídica às novas empresas. O presidente da Federal Prime, Marcos Felipe, conta que a empresa júnior de contábeis tem ampla capacidade de promover a formação de novos membros com cursos profissionalizantes e workshops, mas afirma que as trocas de gestão, feitas anualmente, e até mesmo a falta de estrutura, em alguns momentos, interferem nas propostas de novos projetos e dificultam o processo. Contatos: 8142-0287 | http://federalprime.com

ELO

de Engenharias Ambiental, Civil, de Computação, Elétrica, Mecânica, Química e de Arquitetura. Essa união foi importante, pois fortaleceu a empresa e possibilitou abrangência nos atendimentos prestados, que são feitos nas principais áreas, construção civil, indústrias e processamento, automação e TI e meio ambiente. Uiatã Pires, engenheiro químico e ex-presidente da ELO, ressaltou em entrevista publicada no perfil virtual da empresa, que os maiores ensinamentos adquiridos em sua gestão foram a experiência, a capacidade de lidar com os erros cometidos, pois a empresa funciona como um laboratório, e o relacionamento social, que é um dos fatores mais importantes de uma organização. Contatos: www.eloengenhariajunior.com

Gaia

A mais nova empresa júnior da UFG, a Gaia, foi criada pelos estudantes do curso de Ciências Ambientais e deu seus primeiros passos em 2013. O presidente Gustavo Couto Pires lembra que inicialmente houve um embate entre os estudantes do Iesa, pois a maioria era resistente à ideia de implantação de uma empresa dentro do instituto. Agora professores e estudantes apoiam a iniciativa. A empresa começou com seis membros e hoje, possui 27, divididos em diretorias de projeto, de marketing e de recursos humanos. A empresa ainda não fornece serviços, mas já criou um projeto de marketing turístico inscrito em edital do ICMbio Chico Mendes. Com a aprovação do projeto, será realizado um workshop em Mambaí/GO. Outro projeto criado pela Gaia que tem chamado a atenção na Universidade é o Bituca Zero. Elaborado em parceria com a Incubadora Social da UFG, o projeto visa coletar as bitucas de cigarro em lixeiras personalizadas colocadas em pontos estratégicos no Câmpus Samambaia e reeducar os fumantes da universidade. Contatos: 9394-6259 | gaiajr.blogspot.com.br

Categorias: Empresas Juniores Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação

Arquivos relacionados Tamanho Assinatura digital do arquivo
69 p14 452 Kb ba1ceac6b5840009b42f9285db0f9f35