Weby shortcut
Icone Instagram
Icone Linkedin
Icone YouTube
Universidade Federal de Goiás

Sons do Lixo

Criada em 02/06/15 12:01. Atualizada em 16/06/15 10:06.

cabeçalho 73

 

 

sons do lixo

Sons do lixo

Projeto de extensão aprovado pelo Proext leva oficinas de percussão e de agroecologia a estudantes de escola rural na Cidade de Goiás
Texto: Serena Veloso | Fotos: Carlos Siqueira

 

Como reutilizar o lixo de forma sustentável? Artesanatos, utensílios de cozinha, enfeites, obras de arte e até móveis podem ser criados a partir de materiais recicláveis. E se esses reciclados pudessem ser transformados em instrumentos musicais? Essa é uma das ideias do projeto de extensão Lixo ritmado: agroecologia e arte, coordenado pelo professor do curso de Direito da Regional Goiás da UFG, Cleuton Cesar Ripol de Freitas. Mais que viabilizar a produção de instrumentos de percussão a partir de resíduos descartáveis, o projeto se institui como instrumento de formação cultural a estudantes que vivenciam a realidade da zona rural.

 

A extensão foi aprovada no edital do Programa de Extensão Universitária (Proext) 2015 do Ministério da Educação (MEC), que concede recursos a projetos de universidades para realização de atividades com ênfase na formação e inclusão social. Desenvolvido com alunos da Escola Família Agrícola de Goiás (EFA-GO), a ideia do projeto é aproximar adolescentes, oriundos de comunidades assentadas, dos conhecimentos sobre a cultura afro-brasileira e o meio ambiente, com a realização de oficinas de percussão e de agroecologia, fortalecendo, ainda, o diálogo entre a universidade e o campo.

 

“O que precisamos enfatizar por meio da extensão são as múltiplas possibilidades culturais de produção, dialogadas com a natureza de uma maneira mais próxima”, ressalta o coordenador do projeto. Uma das etapas do projeto envolve a criação de um bloco de percussão com os estudantes, o EFA-Tambores, na perspectiva de formação de agentes culturais locais, que atuarão em suas comunidades de origem com a divulgação da cultura popular, e a realização de apresentações em eventos. O bloco se apresentou recentemente no 3º Festival da Juventude Rural em Brasília e na Feira Agro Centro-Oeste Familiar.

 

As oficinas são ministradas em parceria com os professores Estevão de Sá, do Grupo Meninos de Angola, e Gustavio Pinheiro, do Centro de Capoeira Angola Ouro Verde. Para estudantes como Elisa Dias Pereira, de 17 anos, as oficinas têm proporcionado momentos de lazer nos períodos de estadia na escola, já que o processo de aprendizagem inclui a permanência dos alunos durante duas semanas na instituição, alternado a duas semanas no convívio familiar, quando colocam em prática os conhecimentos adquiridos. “Está sendo bacana porque nós quase não tínhamos atividades culturais à noite na escola”, afirma a aluna do terceiro ano do Ensino Médio.

 

Professor Cleuron Ripol e estudantes participando do projeto musical dele.

Ter a música como instrumento de formação cultural é uma das perspectivas do projeto

 

Conscientização


Para aliar a proposta de atuação por meio da música com a conscientização sobre o meio ambiente, a segunda etapa do projeto prevê a realização de oficinas para reaproveitamento de material reciclável na produção dos instrumentos do bloco e de outros utensílios, sob a orientação do agrônomo e membro da banda Vidas Secas, Tiago Verano. “Um dos nossos maiores desafios chama-se ‘lixo’, ou seja, conseguir conscientizar nossos educandos em várias esferas que envolvam essa temática”, observa a diretora da EFA-GO, Leila Godinho Molinari.

 

Também serão realizadas atividades de sensibilização com os jovens e suas famílias sobre a questão do lixo e do direito ao acesso de políticas públicas de tratamento de resíduos sólidos no meio rural. “Nós aproveitamos o tempo de convívio familiar para que os estudantes possam levar esse trabalho para as comunidades em que estão inseridos”, explica Cleuton Ripol.

 

Educação para o campo


A Escola Família Agrícola de Goiás foi inaugurada em 1994 para atender as necessidades dos assentados e pequenos proprietários de terra, proporcionando aos seus filhos uma educação que responda aos interesses e desafios daqueles que lutam pela permanência na terra. Localizada no sítio Paciência, a sete quilômetros da Cidade de Goiás, a escola atende 29 adolescentes que habitam a região. A instituição oferece educação gratuita do Ensino Médio integrado ao Técnico com Habilitação em Agropecuária. A proposta pedagógica proporciona, além da formação integral em aspectos sociais, éticos, políticos e econômicos, a qualificação profissional para oportunizar melhor qualidade de vida aos jovens e suas famílias.

 

Percussão apresenta na Agro Familiar.

Bloco de percussão EFA-Tambores foi uma das atrações culturais da Feira Agro Centro-Oeste Familiar, realizada no mês de maio na UFG

 

Categorias: Educação no Campo Interior